A Cidade do Sol
julho 30, 2009, 12:56 am
Filed under: Fã de carteirinha, Participo!, Próprias alienações...

wallpaper_1024Em toda noite, antes de dormir, leio e viajo em meus livros. Porém, uma noite foi especial.

Estava lendo ‘A cidade do Sol’, quando de repente, estava ocorrendo um terremoto no meu quarto. Os móveis começaram a se mexer e a cama criou vida. Meu livro caiu de minha mão, caindo abertamente no chão, e em seguida, a cama me empurrou. Foi nessa hora que o meu mundo virou mágico.

Eu havia entrado no livro, bem como a maioria dos desenhos de televisão. Agora eu estava no Afeganistão, perdida e sem nenhum rumo. Até que me deparei a uma cena igualzinha da que eu estava lendo em meu quarto. Mariam, uma menina adolescente e bastarda, estava deitada na calçada da luxuosa casa de seu pai, Jalil, o esperando para ir ao cinema da cidade, porém, seu pai com vergonha de Mariam, fingiu estar ausente.

Vi que ninguém conseguia me observar, e com isso consegui entrar na casa de Jalil. Chegado ao jardim, notei uma janela, onde um homem com aparência preocupada me olhava. Mas como, sendo que eu estava invisível para todos? Então, cheguei a conclusão que fui enviada para o livro especialmente para não começar a grande tragédia da vida de Mariam.

Conversei com Jalil e pedi para abrir aquele portão e tratar Mariam como uma filha de verdade diante de suas esposas e de seus outros filhos. Pedi para ele refletir o quanto Mariam estava sofrendo na rua, sem comer e sem dormir, apenas para o ver. Deixei-o pensando e sai da casa, vendo Mariam chorando sentada perto da entrada da residência. Fui me distanciando, e no momento que virei para trás, a cena tão esperada havia acontecido: Jalil e Mariam se abraçavam, entrando na casa.

De repente, o Afeganistão, somente para mim, estava tremendo. O solo me desequilibrava e não conseguia ficar em pé. Surgiu um livro em minha frente, me fazendo embarcar para um quarto bem familiar.

Agora, estava deitada na cama e pensando no que aconteceu: ajudei a vida de Mariam igual a um anjo. Ela não precisaria ver sua mãe morta, se casar com Rasheed e ter uma vida lastimável ao lado dele. Ela estava sã e salva com Jalil, a fazendo feliz.

Fechei o meu livro. Olhei para o lado, e vi Mariam me agradecendo.


– pauta para o blorkutando

Anúncios


pop!
julho 28, 2009, 12:06 am
Filed under: Próprias alienações...

O que fazem as pessoas ficarem populares?

Será algo do outro mundo, apenas carisma ou principalmente beleza exterior, algo que não passa de valores físicos?

Não há nada de melhor sermos paparicados por toda a escola, ver que estão falando de você aos sussurros e ser o motivo daquela briga entre duas pessoas disputando o seu esperado amor. Com a ajuda da internet, a popularidade tão disputada entre garotas e garotos de todo o mundo se torna bem mais fácil e cresce absurdamente. Porém, para a maioria das que ganham o título de ser muito conhecido, esquecem do conhecimento que ganharam lutando, aquela beleza interior que quase nunca é usada.

Então, surge aquela simples pessoa no fundo do corredor da escola, com óculos e livros na mão. Aquela que ninguém sabe o nome, mas ela sabe muita coisa. Aquela que sempre busca uma fórmula para a ignorância da sociedade, e pensa que ainda a essência vai vencer a aparência. Seu caráter é eterno, já a beleza das pessoas, não. E espera ser um dia reconhecida, não fisicamente, mas mentalmente. Este é o lema adotado por ela.

–x–

Oi gente! Então, esse texto eu escrevi meio de uma hora pra outra, quando estava vendo as pessoas que ficaram famosas por orkut/twitter e etc. Peguei um papel e comecei a escrever.. não ficou tão bom, mas acho que retratei uma realidade. Até mais!



Um futuro realizado
julho 21, 2009, 9:38 pm
Filed under: Participo!, Próprias alienações...

Aquele momento era tão significante para mim. Sentada em uma cadeira, a frente um espelho, e tantas maquiagens espalhadas pela mesa perto de mim. Não conseguia acreditar que eu estava lá, esperando a hora para realizar algo que tanto queria. Ouvi vozes me chamando. Chegou o momento.

Entrei no palco. O holofote estava centrado em mim. Milhares de pessoas me olhando. Comecei a sequencia como em todos os meus ensaios e ali estava, fazendo a melhor coisa que já havia feito em minha vida. Ver que todos aqueles anos de luta e força, valeram a pena. Nunca me imaginaria uma bailarina tão feliz como eu estava.

Quando eu tinha 15 anos, no ano de 2009, idolatrava a dança como ninguém. Assistia programas de tv, ia em espetáculos e sonhava com isso todos os dias, porém, pensava em seguir uma carreira diferente. Mas, corri atrás do que eu queria e consegui.

Hoje, com 22 anos, agradeço a Deus por me dar as oportunidade para ser essa dançarina que sou, feliz e realizada.

Depois do meu próprio espetáculo, aquelas milhares de palmas me fizeram acreditar que eu venci na vida e principalmente, acreditei em mim. E isso era apenas um sonho em minha juventude…

– pauta para o blorkutando



Dom não se discute!
julho 18, 2009, 6:32 pm
Filed under: Próprias alienações...

OgAAADL-ihVaHmvCnF9Wl85yCHMwgqq5nsqqF4QUwrKee77GnU-z8Y61hZPw9B3yHkkTwv3rhgD9Gf3UVtSwFA4uNtAAm1T1UBiK70qxDug3x7RYfmO4TvuJ_S4n

Essa foto que eu acabei de mostrar, que na verdade é um desenho feito apenas por caneta bic azul, desenhado por Juan Francisco Casas. Fiquei realmente impressionada quando vi, pelo fato de estar muito real e espontânea.

Refleti muito sobre cada desenho que eu vi dele, e cheguei a uma palavra que explica perfeitamente isso: Dom.

Para mim, cada pessoa nasce com algum talento a seguir. Tocar violão, desenhar, dançar, cozinhar… Cada pessoa se destaca em um determinado afazer, tendo mais facilidade e se destacando comparado aos outros.

Isso está devido ao meio em que vive, ou até mesmo da natureza divina, por dar privilégios diferentes a todas as pessoas.

O Dom não se sustenta sozinho, por isso temos que correr atrás dele e praticá-lo cada vez mais, se tornando uma conquista para todos nós.

P.S: A Gabriela ainda não descobriu o seu dom! 😀

———–

E aaí gente!

Venho aqui para agradecer profundamente o PostIt, por premiar o meu texto do Dia Mundial do Rock como o segundo melhor da edição! Valeu!

Aqui do lado está o selinho especial que eu ganhei ^^

Beijinhos galera :**



O negócio é Rock ‘N’ Roll!
julho 13, 2009, 11:52 pm
Filed under: Fã de carteirinha, Participo!

Beatles, Rolling Stones, Led Zeppelin, Pink Floyd, The Ramones, Legião Urbana, Elvis Presley e muitos outros ídolos e bandas criaram o nosso adorável rock. E por causa isso, o tão grande Dia Mundial do Rock é inesquecível para todos, pois através desse estilo musical, criou personalidades, costumes, e principalmente uma sociedade.

Para muitos, o rock de verdade são os de antigamente e dizem que acabou, mas o rock é infinito. Independente do estilo musical, algumas bandas de hoje também são vertentes do rock, como All Time Low, Blink 182, Paramore, Nx Zero, entre outros.

Rock é música, estilo, gosto, cultura, comportamento, expressão, história, é o mundo em que vivemos, que é influenciado cada vez mais por este poderoso que nos contagia. Rock é magia.

– pauta especial para o PostIt.



Escrever, criar, imaginar, viver!
julho 9, 2009, 1:30 am
Filed under: Participo!

Uma folha em branco e uma caneta nas mãos, e assim viajo. Desde um parágrafo, até o ponto final, e se existe este ponto. Viajo em meus pensamentos mirabolantes, ideias sem fim, lembranças marcantes… escrever, literalmente, é a minha vida.

Escrevo para, simplesmente, me sentir bem. A partir desse ato, entro em um mundo feito por mim, onde posso ser diferente, criar, viver, inovar. Posso expor a minha opinião, ou até escrever desenhando. O que importa é ter vida em tudo o que eu escrevo.

Obrigada papéis, livros, blog, e principalmente meu querido diário por estar comigo sempre e fazer com que minha mente surja em letras especiais numa folha branca, se transformando em colorida em um simples escrever…

– pauta para o bee writer



Sorte de hoje e de sempre!
julho 5, 2009, 11:08 pm
Filed under: Participo!

Sorte de hoje: Quase tudo é possível quando se tem dedicação e habilidade. Grandes trabalhos são realizados não pela força, mas pela perseverança.

Liza era uma estudante normal, como todas as outras e sonhava em fazer medicina, porém tinha em mente que era uma tarefa difícil de realizar, por isso lutou até o fim.

Anos se passaram e a hora de prestar o vestibular chegou. Com a ajuda de seus estudos e de sua vontade, conseguiu fazer a prova tranquila e esperar o resultado. Mas,  este não foi muito bom. Liza não tinha entrado na faculdade e teria que fazer um ano de curso extensivo. Para a maioria das pessoas, isso as tornariam desanimadas, mas para Liza não. Ela continuou a ser forte e ter dedicação em seus estudos para realizar este maior sonho.

Até que esta hora chegou. Liza passou no vestibular no ano seguinte no curso de medicina em 1º lugar. Em seus depoimentos para a família, Liza disse que sua dedicação, habilidade e principalmente perseverança a fez ir longe nesta jornada e tornar este sonho uma realidade. Ela provou que tudo é possível, basta você crer.

– pauta para o Blorkutando