Mãos
agosto 24, 2009, 11:16 pm
Filed under: Participo!, Próprias alienações...

Quando olhei aquela imagem, logo levei os meus olhos para aquele casal. O casal sorridente, com um olhar misterioso e ao mesmo tempo cativante, com roupas antigas, chapéis e destacando suas mãos entrelaçadas. Aquelas mãos que se apertavam fortemente sem dor alguma. Aquelas mãos vivas, com uma magia que penetrava em meus olhos úmidos. As mãos que traziam saudade, a lembrança, as que tanto busquei e valorizei, e agora não existem mais. As mãos de carinho, afeto, companheirismo… amor que tocavam o meu coração. As mãos puras, as mãos dele.

Tudo o que era mais sagrado para mim era aquela foto, a única foto. Muitos casais estavam presentes, mas o único que via era nós, era ele. Nada podia separar as nossas almas, os nossos corações. Era como se fossemos um só corpo ardendo em chamas reluzentes.

Naquela época, só ele me fazia feliz. Não existia derrotas, guerras, tristeza e ódio. Só existia o bem de estar perto dele e tocar em suas mãos frias e veludadas. Tudo para mim era o paraíso, até que o destino me fez separar de sua alma. Naquele instante, via-me sozinha, sem expressões, sem aquele perfume que me contagiava, sem seu olhar, sem ele. Mas apenas com lágrimas escorrendo em meu rosto desiludido e sem vida.

E é assim que sobrevivo a cada dia que passa, com esperança de estar perto de suas mãos novamente, se entrelaçando com as minhas e sentir aquele preenchimento insubstituível, e aí sim, viverei em paz eternamente.

– pauta para o blorkutando

Anúncios


O piano
agosto 14, 2009, 1:13 am
Filed under: Participo!, Próprias alienações...

Aquela casa era a melhor que eu já havia visto. Grande, muitos quartos, jardins espalhados por todo o lado… e um piano encostado na parede da sala de estar.

Quando pisei naquela casa já como moradora, ouvi ruídos e uma música no fundo. Havia apenas eu e minha coragem naquela casa. Senti que o barulho vinha de alguma sala entre muitas daquele lugar, era algo como um piano tocando, mas com um detalhe: sozinho. A música era antiga e tinha um toque de tranquilidade e harmonia, porém o ambiente não estava tão harmonioso assim.

Senti calafrios. Queria sair daquela sala imediantamente. Até que, indo em direção ao corredor, vi uma criança loira com um vestido azul e uma boneca na mão. Ela se mexia rapidamente, parecendo como um vulto preto se espalhando pelo corredor. E o piano começou a tocar novamente. Olhei para ele e a menina o estava tocando. Ela sentiu a minha presença e olhou para a minha direção. Notei que seu rosto estava todo machucado e molhado, com lágrimas escorridas por sua pele. O medo tomou conta de mim. Fechei os olhos de repente. Abri… e ela já não estava lá.

Não sabia o que fazer, então tomei a melhor decisão: ir embora daquela casa e nunca mais voltar.

Sempre conto essa história para os meus amigos. Eles não acreditam. Segundo S. Tomé, precisamos ver para crer.

– pauta para o bee writer: Medo de quê ?



Mania… ou vício?
agosto 9, 2009, 5:52 pm
Filed under: Participo!, Próprias alienações...

No mesmo tempo em que escrevo aqui, reparo que, involuntariamente, minha síndrome das pernas inquietas está ativada, e também, meu cérebro nem pensa e manda mensagem para os meus dedos estralarem e mexerem no meu cabelo. Isso se chama mania… ou vício. Sinceramente, não consigo diferenciar essas duas palavras, pelo fato que, parroendo as unhasa mim, elas estarem ligadas.

Depois de ter escrito isso, olho para as minhas unhas, com a tentação de roe-las, mas não deixo me levar por esta vontade. Não existe mais esse vício em mim. Pelo que eu saiba. Também olho para elas e penso em qual cor irei pintá-las hoje, satisfazendo a minha mania.

Como tem um espelho logo ao meu lado, me olho sempre com o pensamento negativo, notando o dobro de tamanho em meus quadris. Sempre faço isso, satisfazendo a minha mania… ou vício?

Aí penso que não sou só eu que tenho mania e vícios. Meu irmão, toda vez que entra no quarto, toca as mesmas músicas no violão. Isso se torna habitual em nossa vida, fazendo parte da nossa rotina, sem que nós percebamos. É sempre assim.

p.s: quando acabei de escrever aqui, senti minhas pernas inquietas novamente.

– pauta para o blorkutando: Vícios e Manias



Playlist!
agosto 8, 2009, 12:36 am
Filed under: Fã de carteirinha, outros.

“Mais difícil é saber que é verdadeiro e não poder sentir,
Ver que o outro sente o mesmo, mas não é por ti.
E ter que esconder e não poder demonstrar
Mentir pra você fazer o outro acreditar

Platônico até pode ser.
Platônico mais do que eu deveria sentir

Olhar suas fotos e imaginar você aqui,
Saber que sente o mesmo mas não é por mim,
E se perder no meio de uma ilusão,
E não querer sair dessa confusão

Platônico até pode ser
Platônico mais do que eu deveria sentir

E eu espero por você o tempo que for
com medo de não acontecer, mas eu estarei aqui
até o fim, eu estarei aqui…”

(Fake Number – Platônico)

-x-x-x-x-x-

E ai gente! Tudo bom com vocês?

Desculpe-me por tanto tempo fora do blog, é que me deu uma crise de falta de imaginação e criatividade, então pra não deixar tanto tempo off, postei uma música que se encaixa perfeitamente em mim hoje em dia. Bom, é isso ai!

Acho que todo mundo já sabe que as aulas vão começar dia 17. Por um lado, estou morrendo de medo, pelo fato de estar tanto tempo sem estudar e também de como as escolas vão repor esses dias perdidos por causa da gripe suína.

Proteja-se do H1N1, galera!

Beijinhos :*