Siga as instruções de uma vida sem saudade.
janeiro 30, 2011, 3:32 pm
Filed under: Sem categoria

Sabe aquela história da borboleta? Pois é, sumiu. Não sei onde foi parar e nem deu satisfação para fugir assim, do nada. E aquela velha história de sofrer por amor voltou a me atormentar. Sofrer por um velho amor.

Ouvir músicas e sonhar constantemente não me ajuda a esquecer de você fácil. Parece que ainda tenho 1% de esperanças em te encontrar novamente e nos entendermos da melhor forma possível. A gente já fez isso, mas friamente e não como eu queria. Infelizmente.

Eu quero uma forma de ocupar a minha mente com outras coisas, sem ser você. Quero te copiar. Só que não tenho um coração frio feito gelo. Sou sensível e amante.

Ah, mas como eu sinto vontade de dizer novamente tudo o que eu sinto e tudo o que está prestes a sair da minha garganta e dos meus olhos, em lágrimas.

Como diz o Hateen, quero viver uma vida sem saudade!

“Vou te ligar e te dizer que sinto falta e enlouquecendo ouvindo a sua voz dizer: me liga agora e vai saber se o meu mundo ainda é você.”

Anúncios


Grandes borboletas pequenas…
janeiro 4, 2011, 3:58 am
Filed under: Próprias alienações...

Estou com uma vontade tremenda de virar uma borboleta agora. De voar, voar, voar sem destino e sem direção até encontrar um lugar calmo e com luz. Estou me sentindo livre igual a elas. Não há mais barreiras e não há mais tristeza. Espero.

Aliás, pode até ter sim, mas vou ser forte e voar para bem longe delas, porque tudo já está resolvido. Não há mais tensão, ansiedade e, infelizmente ou felizmente, esperanças.

Não sei se eu estou fazendo um caminho certo, mas irei vê-lo o que é certo, errando. Estou com o meu pensamento e minha consciência limpa para vivenciar novas experiências. A vida está me obrigando a isso.

Não sei realmente como eu estou me sentindo, mas é como se uma de minhas asas querer repousar e esperar mais um pouco caso aconteça alguma surpresa, e a outra asa querer voar para o infinito.

Ao som de Remembering Sunday, não fico triste agora. Fico leve. Fico bem. Quero viver a minha vida feliz, com ou sem a sua vida ao meu lado, independente de como seja. Quero ser essa borboleta voando tranquilamente e procurando um lugar favorável a ela para pousar. E ali ficar.

Duda Gérry